RNA Especialista

JANEIRO BRANCO: COMO CUIDAR DA MENTE?

Aleilsa de Lima Paula, Mestra em Psicologia e Especialista em Saúde do Trabalhador


O mês de janeiro tem representado o início de um novo ciclo, nesta ocasião as pessoas traçam novos planos e renovam as esperanças. No Brasil, esse mês recebeu mais um significado especial através da CAMPANHA JANEIRO BRANCO, que se propõe a construção de uma cultura de saúde mental. Em 25 de abril de 2023, o governo federal instituiu a Lei n. 14.556, a qual versa sobre ações de conscientização da população acerca da saúde mental, a promoção de hábitos e ambientes saudáveis para prevenção de doenças psiquiátricas, e destaca o cuidado com a dependência química e o suicídio.

No âmbito do trabalho em saúde essas ações contribuem para mobilizar ainda mais os profissionais quanto ao autocuidado, os quais enfrentam importantes riscos psicossociais em decorrência de atividades que lidam com a dor e o sofrimento do outro. Um exemplo evidente foi a pandemia, pois mostrou importantes desafios no processo de trabalho, capazes de provocar o adoecimento mental. Além disso, atualmente colhemos os seus frutos, tais como o transtorno do estresse pós-traumático, os sintomas centrais são relativos a intrusões e esquiva de lembranças associadas a eventos traumáticos.

Esse cenário reforça a necessidade de medidas efetivas para suscitar um ambiente psicologicamente seguro, que por sua vez segue ao encontro do objetivo primordial da Campanha. É válido citar algumas intervenções organizacionais que resultam positivamente para os profissionais, tais como: a intervenção psicológica e social; liderança que oferece suporte aos trabalhadores; interação respeitosa e atenciosa; encorajamento dos trabalhadores ao desenvolvimento de habilidades interpessoais, emocionais e profissionais; reconhecimento; inclusão dos trabalhadores nas discussões sobre as demandas de trabalho, proteção da segurança física, dentre outras. Quanto as atividades individuais – centradas no trabalhador, podemos referir prática de atividade física, psicoterapia, participação em eventos de interação social, fortalecimento das redes de apoio por meio de ligações, áudio ou mensagem de texto, dormir o suficiente, conhecer os seus limites, técnicas de meditação e mindfulniss.

Embora, essas questões sejam trazidas à baila no início do ano, devem ser discutidas constantemente, abrindo caminho para reflexões e estabelecendo uma cultura de autocuidado. Afinal, quando o bem-estar da mente passa a ser prioridade, é possível regular as emoções proporcionando mais leveza diante das pressões na rotina de trabalho.

Referências:

• BRASIL. Lei Nº 14.556, de 25 de abril de 2023. Institui a campanha Janeiro Branco, dedicada à promoção da saúde mental. Brasília, DF: Diário Oficial da União, 2023.

• Manual diagnóstico e estatístico de transtornos mentais [recurso eletrônico]: DSM-5 / [American Psychiatric Association; tradução: Maria Inês Corrêa Nascimento … et al.]; revisão técnica: Aristides Volpato Cordioli … [et al.]. – 5. ed. – Dados eletrônicos. – Porto Alegre: Artmed, 2014.

• SANTOS, B. V. dos; MIRANDA, F. M. de; SILVA, J. A. M. da; SATO, T. de O.; MININEL, V. A. Estratégias de promoção à saúde mental no trabalho de enfermagem hospitalar: revisão integrativa. Revista de Enfermagem da UFSM, [S. l.], v. 13, p. e36, 2023. DOI: 10.5902/2179769274722. Disponível em:

https://periodicos.ufsm.br/reufsm/article/view/74722. Acesso em: 28 dez. 2023


Utilizamos cookies para permitir uma melhor experiência em nosso website e para nos ajudar a compreender quais informações são mais úteis e relevantes para você. Por isso é importante que você concorde com a política de uso de cookies deste site.